Bem - vindo, Belo Horizonte,
Busca:
 
Choose your languague:

Celacanto: O Fóssil


“Mas, de acordo com esta teoria devem ter existido inumeráveis formas transicionais, por que não as encontramos, incontáveis, enterradas na crosta da Terra?”
– Charles Darwin


Michael Denton cita Steven Stanley e o seu livro “Macroevolution”, talvez, para responder à pergunta que Charles Darwin fez a si mesmo e aos adeptos da sua teoria na época em que ela veio a lume, gerando uma série de controvérsias, principal e relevantemente religiosas.


“Se a nossa sapiência da biologia fosse restrita tão somente a estas espécies existentes na terra”, diz Denton e completa a sua frase citando Stanley – “poderíamos cismar a respeito de que a doutrina da evolução qualificaria, nada mais, nada menos, do que uma hipótese ultrajante”.

E Michael Denton apresenta o fóssil vivo – o Celacanto – pensava-se, a respeito dele, que estava extinto há um milhão de anos até que um pescador o pescou no sul da África. O celacanto é um parente próximo de um outro grupo de peixes já extintos, o rhipidistia, considerado como ancestral do amphibia e, desta forma, de todos os vertebrados terrestres. A descoberta do peixe extinto, provocou excitação mundial. Entretanto, quando a sua anatomia foi pesquisada obteve-se decepção,. Ao invés de entusiasmo: não estava totalmente de acordo com as características que se esperava de um parente próximo dos amphibia (Gregory W.K. (1951) Evolution Emerging 2 vols, pg. 327) citação de Michael Denton pág. 157 – Evolution: a Theory in Crisis.

E o que pensa a respeito o neo-darwinista Richard Dawkins? Dawekins oferece o celacanto como exemplo de “estase”. Os celacantos foram um grande grupo de peixes (na verdade embora sejam chamados de peixes, eles têm parentesco muito mais próximo conosco do que com as trutas e os arenques) que existiram em grande número há mais de 250 milhões de anos e aparentemente se extinguiram porque em 1938, para grande espanto dos zoólogos, um peixe esquisito, com quase um metro e meio de comprimento e barbatanas singulares um tanto longas, parecidas com pernas, apareceu entre os animais apanhados por um pesqueiro de alto mar na costa sul africana. Um zoólogo sul africano o identificou como um celacanto vivo dando-lhe a denominação de Latimeria... É um fóssil vivo, pois quase não mudou desde a época de seus ancestrais fósseis, centenas de milhares de anos atrás.

E Dawkins conclui: “Portanto existe a estase ... Como explicá-la? Alguns de nós diriam que a linhagem conducente ao Latimeria não mudou porque a natureza não a impeliu. Em certo sentido ele não teve necessidade de evoluir porque esses animais haviam encontrado um modo de vida bem sucedido nas profundezas do oceano, onde as condições não sofreram grandes mudanças... Outros biólogos, inclusive alguns dos que se intitulam pontuacionistas, poderiam dizer que a linhagem conducente ao moderno Latimeria resistiu ativamente à mudança, apesar de quaisquer que possam ter sido as pressões da seleção natural. Quem está com a razão? No caso específico do Latimeria é difícil saber, mas em princípio, há um modo de procurarmos descobrir. Para sermos justos, paremos de pensar no caso específico do Latimeira. Ele é um exemplo notável, mas muito extremo, e os pontuacionistas não fariam questão de usa-lo. Eles acreditam que são bem comuns os exemplos de estase menos extremos e de mais curto prazo; acreditam que, de fato, esses exemplos são a regra, pois as espécies possuem mecanismos genéticos que resistem ativamente à mudança mesmo havendo forças da seleção natural pressionando para que mudem”. (O Relojoeiro Cego – págs. 361,362,366 – R. Dawkins).

Michael Denton cita a opinião de outros autores:
“Mas, o exame do celacanto vivo provou ser um grande desapontamento. Muito da sua anatomia, particularmente a do coração, intestinos e cérebro, não foi o que estava sendo esperado de um ancestral dos “tetrapod”. Denton cita, também, a opinião de Bárbara Stahl, confirmando a sua opinião no livro “Vertebrate History: Problems in Evolution pág. 487 (Michael Denton – obra citada pág. 179). Stahl termina a sua avaliação detalhando o sistema circulatório do Latimeria (o celacanto) dizendo que o seu coração é característico dos peixes “sem a divisão em lado esquerdo e lado direito e a tripa (gut) com o seu intestino válvula em espiral é de um tipo comum a todos os peixes, exceto os de barbatanas mais avançadas”.

Peter Forey comenta em “Latimeria: A Paradoxical Fish” – página 369 (citação feita por Michael Denton – página 179 – Evolution: a Theory in Crisis): “Tivemos que esperar por cerca de 1 milhão de anos pela descoberta recente do celacanto. Durante este tempo os inúmeros fósseis de celacanto foram descritos, baseados nas suas características osteológicas, a sua posição sistemática foi a de parentes próximos dos rhipidistas e de primos do tetrapods o que o colocou como sendo parte do fato evolucionista, perpetuado nos livros didáticos. Grandes descobertas foram esperadas, provenientes do estudo anatômico do Latimeira (celacanto). Com a constatação de que o Latimeria, na realidade, é um peixe e, verdadeiramente um animal marinho, ficou-se à espera de um “insight” que indicasse algo da fisiologia e da anatomia dos riphidistas, este grupo sempre lembrado, seria a grande chance de vislumbrar-se o trabalho deste ancestral dos tetrapods. Estas expectativas fundamentaram-se em duas premissas. Primeiro, os rhipidistas são os parentes mais próximos dos tetrapods e segundo, o Latimeria é uma derivação dos rhipidistianos”.

Estas expectativas foram todas por água abaixo! Uma grande desilusão! “Claramente, se a biologia dos peixes rhipidistianos assemelha-se, de qualquer modo às dos seus primos celacantos, mesmo que esta similaridade tivesse sido grande em relação às dos anfíbios primevos tendo em vista as relações de certas características dos seus esqueletos, em termos gerais da sua biologia, estas características devem ter sido removidas há um longo tempo. É sempre possível logicamente, se dizer que as similaridades esqueletais entre o celacanto e a rhipistia são somente convergências e portanto, superficiais, mas se este argumento fosse aceito neste caso, poderia ser refugado no caso das similaridades entre os peixes rhipidianos e os anfíbios”? Michael Denton. (ibidem pág. 180).

Denton prossegue o seu raciocínio observando como se torna difícil a conclusão final sobre toda a biologia dos organismos , quando os cientistas se atêm, apenas e tão somente ao estudo do que sobrevive do esqueleto do fóssil. Não se pode fazer conclusões corretas a respeito de grupos já extintos porque nunca se poderá saber o que está correto ao certo, até a respeito dos mais convincentes dos intermediários, o certo é que sempre terá que se contar com a insegurança. O celacanto vivo é a maior das provas e dos exemplos desta racionalização, depois de se dizer e se provar com esta espécie muitos itens ligados à teoria da evolução, hoje em dia ele se tornou tão somente em mais um outro “graveto” da pressuposta árvore da vida.
O fato é que existe agora um corpo de opiniões que vê os peixes com pulmões tão distantes doas anfíbios quanto os rhipidistia (uma visão comum no século 19) e que considera as similaridades esqueletais entre o peixe rhipidistiano e o anfíbio tão somente como convergência (Rosen, D.E. Forey, P. L. Gardiner, B.B. e Patterson Collin (1981). Lung-fishes, tetrapos, Paleontology and Plesiomorphe, Bull Amer. Mus. Natural History, 167:163-275) citação – Michael Denton (isid. Pág. 180).

Concluindo: “O fato de que muitos grupos separados de rhipidistianos exibam, todos eles e em graus diferentes, características esqueletais parecidas com as dos anfíbios, significa que na maioria dos rhipidianos a similaridade é verdadeiramente uma convergência com o que somente um dos grupos pudesse, possivelmente, ser um ancestral dos anfíbios”. Michael Denton. (Ibid. Página 181).


 
Outros Cadernos

Ciências

Clique em um título para ler a matéria:

• 18/03/08 - Idoya da 'Dinastia Rhesus'
• 14/09/07 - CIÊNCIA - FICÇÃO – UFOLOGIA
• 20/03/07 - Gene humano pode conter nome de Deus
• 20/03/07 - Pacal Votan
• 28/10/05 - Jornal Infinito No Mundo Animal
• 11/04/05 - AIDS / SERVIÇO
• 10/03/05 - Pela Sobrevivência do Planeta
• 02/02/05 - TSUNAMI
• 24/01/05 - Planeta cumpre seu ritual geológico
• 30/06/04 - O Universo Misterioso nº 1
• 02/03/04 - Mais rápido do que a velocidade da Luz
• 01/08/03 - Origem da Vida e Sua Evolução na Terra
• 16/06/03 - Stephen Hawking quebra a casca da nós
• 15/05/03 - Memória Extra-Cerebral: Evidências a favor da Reencarnação
• 08/05/03 - O SOM e a PES
• 29/04/03 - Odontologia sistêmica, o holismo na boca.
• 28/04/03 - A Psicologia Transpessoal
• 19/08/02 - A Terapia Bacteriofágica
• 16/11/01 - A mensagem do toro muerto.
• 28/09/01 - As chapas gravadas de UR.
• 12/09/01 - Jung e a Gnose.
• 18/08/01 - Arqueologia - Glozel França.


Séries

A Pensadora de Nicolelis

• 19/04/08 - Um caso interessante.
• 17/04/08 - Uri Geller ... Novamente
• 18/03/08 - A ciência de Cinderela
• 18/03/08 - Uma experiência telepática


Jornal Infinito no Mundo Animal

• 01/12/55 - Puberdade e cio nos caninos
• 01/12/05 - HAMSTERS E OUTROS ROEDORES
• 01/12/05 - PARTO EM CADELAS
• 01/12/05 - TÁRTARO DENTÁRIO
• 28/10/05 - Jornal Infinito No Mundo Animal
• 28/10/05 - Rupert Sheldrake - Parte II ( continuação de: Criação E Saúd...


A Ciência Perante o Desconhecido

• 31/05/04 - A Ciência Perante O Desconhecido
• 31/05/04 - Desta Vez Foi Por Pouco
• 31/05/04 - O Universo Misterioso nº1
• 31/05/04 - O Universo Misterioso nº 2
• 31/05/04 - A Via Láctea
• 31/05/04 - Gaia Oculta (Em Construção)
• 31/05/04 - Algumas Hipóteses
• 31/05/04 - Saber Oculto
• 31/05/04 - Catastrofismo(Em Construção)
• 31/05/04 - AQUA / VITA (Em Construção)
• 31/05/04 - Ficção e Realidade(Em Construção)
• 31/05/04 - "Cum Scire" (Conhecer Com)
• 31/05/04 - O que é o Possível e o que é o Absurdo? (Em Construção)


Gaia: A Terra Viva

• 01/08/03 - Gaia - A Terra Viva
• 01/08/03 - Hipótese Gaia


História/Arqueologia/Paleontologia

• 01/08/03 - O Gênesis Polêmico
• 01/08/03 - Arqueologia e Paleontologia
• 01/08/03 - Arqueologia Proibida: A História Oculta Da Raça Humana
• 01/08/03 - A Revisão da História Antiga - Uma Perspectiva
• 01/08/03 - Pesquisadores apresentam fósseis mais antigos do 'Homo sapie...
• 01/08/03 - Com bom humor: As incertezas da pré-história
• 31/07/03 - O Caminho Para a Humanidade


Pela Sobrevivência do Planeta

• 27/04/05 - A TEORIA DE CARL SAGAN SOBRE O EFEITO ESTUFA
• 30/03/05 - A hipótese gaia de Lynn Margulis
• 30/03/05 - O efeito estufa e o sol primevo
• 10/03/05 - Não podemos mais esperar
• 10/03/05 - Pela Sobrevivência do Planeta
• 10/03/05 - Perspectivas para o Brasil


Física/Exobiologia

• 04/08/03 - As Civilizações I, II e III
• 04/08/03 - David Bohm e a sua teoria da Ordem Implícita


Antropologia

• 20/03/07 - Pacal Votan
• 04/08/03 - A hipótese do antropólogo Jeremy Narby


Mitologia

• 04/08/03 - As quatro faces de Deus
• 04/08/03 - A Origem e a concepção do Mundo: Aiyé e Órun - cultura afro...
• 04/08/03 - A Pesquisa Mitológica de Jeremy Narby


A Origem da Vida

• 04/08/03 - A Origem da Vida
• 04/08/03 - A Sopa Prebiótica
• 04/08/03 - Vida surgida do barro
• 04/08/03 - Semeados do Espaço
• 04/08/03 - Panspermia Direta
• 04/08/03 - A teoria de Lakhowsky


Teoria do Criacionismo

• 04/08/03 - Desnudando Darwin
• 04/08/03 - Criacionismo - Uma Rápida Resenha


Teoria do Evolucionismo

• 04/08/03 - Criacionismo Científico
• 04/08/03 - A Ciência e a Evolução
• 04/08/03 - Ceticismo Aberto - Parte 1
• 04/08/03 - Ceticismo Aberto - Parte 2


Teorias Recentes

• 04/08/03 - Intelligent Design (Desenho Inteligente)
• 04/08/03 - Princípio Cosmológico Antrópico
• 04/08/03 - Cladismo
• 04/08/03 - A História da exposição do British Museum
• 04/08/03 - Equilíbrio Pontuado
• 04/08/03 - Os Nativos Estão Inquietos


Críticas

• 05/08/03 - O Destino da Natureza - "Fine Tuning"
• 05/08/03 - Darwin on Trial - Philip Johnson
• 05/08/03 - Desafiando os Mitos de Darwin
• 05/08/03 - Enfrentando a aposta de Darwin - Parte 1
• 05/08/03 - Enfrentando aposta de Darwin - Parte 2
• 05/08/03 - Enfrentando aposta de Darwin - Parte 3


Dúvidas e "Hoaxes"

• 05/08/03 - O Registro Fóssil
• 05/08/03 - Celacanto: O Fóssil
• 05/08/03 - Cientistas desvendam fraude do dinossauro-pássaro
• 05/08/03 - As pedras no Caminho de Darwin
• 05/08/03 - Observatório da Imprensa
• 05/08/03 - O Célebre "Hoax" de Haeckel
• 05/08/03 - A Explosão do Cambriano
• 05/08/03 - Descoberta Ave Primitiva
• 05/08/03 - Os Milagres da Evolução
• 05/08/03 - Archeopteryx e os Criacionistas
• 05/08/03 - Archeopteryx
• 05/08/03 - A Religião do Relojoeiro Cego


Debates / Entrevistas

• 08/08/03 - Postscript I
• 08/08/03 - Johnson comenta a minha revisão
• 05/08/03 - Controvérsias: A Explosão Cambriana


Evolução

• 13/12/02 - Neurociências.
• 13/12/02 - No século 21.
• 12/12/02 - A linguagem.
• 12/12/02 - A teoria da cognição.
• 12/12/02 - Nossos primos os chimpanzés.
• 12/12/02 - O sopro do espírito.
• 12/12/02 - O universo autoconsciente de Amit Goswami.
• 05/12/02 - Introito.


Medicina Alternativa

• 21/11/02 - A música como recurso terapêutico.
• 13/06/02 - O som e a saúde.
• 15/05/02 - A poluição sonora.
• 15/05/02 - Relax pelo som.
• 15/05/02 - Som alma e espírito.


Psicologia

• 29/09/02 - Jung e a morte.
• 23/09/02 - Paralisia do Sonho e o Sonho Lucido.
• 26/09/01 - Psicologia - Georg Grodeec: o verdadeiro pai da psicanálise.


Ecologia

• 28/10/05 - Jornal Infinito No Mundo Animal
• 20/12/02 - A energia radiônica.
• 20/12/02 - Radiônica albores.
• 17/12/02 - Onde se casam a mitologia e a ciência.
• 17/12/02 - Radiância e alimentação saudável.
• 16/12/02 - O sábio da Índia e o um Original.
• 13/12/02 - Plantas não toleram mentiras.
• 10/12/02 - As plantas e a percepção extra-sensorial.
• 10/12/02 - Goethe, poesia e ciência.
• 12/10/02 - Os seres verdes da natureza.


Psicologia e os contos de fadas

• 11/07/02 - A pequena sereia.
• 04/07/02 - A Bela Adormecida.
• 01/07/02 - João e o Pé de Feijão.
• 28/06/02 - Branca de Neve
• 27/06/02 - Chapeuzinho Vermelho.
• 14/06/02 - O gato de botas.
• 14/06/02 - Simbad.
• 13/06/02 - A Psicanálise dos Contos de Fadas.
• 13/06/02 - Os três porquinhos.


Shamanismo - Antropologia e Biologia

• 01/02/02 - Ciência e Materialismo.
• 01/02/02 - Pablo Ameringo.
• 02/01/02 - Dupla Visão.
• 12/12/01 - As Pirâmides do Egito.
• 12/12/01 - Desfocalisando.
• 11/12/01 - As figuras de Nazca: Peru.
• 11/12/01 - O Curare.
• 03/12/01 - Shamans.
• 29/11/01 - A Serpente Cósmica.
• 12/05/01 - A Serpente Cósmica - o DNA - Coresspondências e Conexões.


   
 
| Copyright 2003 - Todos os direitos reservados ao Jornal Infinito |